Seu browser não suporta JavaScript!

16/04/2007 | Site do PSDB Nacinal

Tucanos condenam loteamento na Infraero

Brasília (16 de abril) - O vice-líder do PSDB na Câmara deputado Luiz Paulo Vellozo Lucas (ES) fez duras críticas ao loteamento promovido pelo governo do PT na Infraero. Na avaliação do tucano, a partilha de cargos na estatal foi um dos pontos partida para o caos aéreo. De acordo com matéria publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, os 33 cargos de comando da estatal foram rateados por um consórcio formado por sete partidos.

RETROCESSO

Segundo Vellozo Lucas, durante o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), a Infraero passou por um choque de gestão que foi fundamental para a modernização da empresa. ´Já na Era Lula, o órgão foi aparelhado em todas as suas instâncias. Quatro anos após o início do governo Lula, a instituição deu um dos maiores saltos para trás´, condenou.

Para o tucano, a diferença entre a administração da empresa feita no período FH e o que foi realizado desde 2003 é ´abissal´. ´A opção do presidente Lula por aparelhamento feito da maneira mais tosca possível em uma entidade complexa como a Infraero é uma das principais causas do apagão aéreo´, observou.

O loteamento comandado pelo Planalto foi realizado para entregar aos aliados uma verba de R$ 878 milhões para investimentos em aeroportos. Segundo o Estadão, em 2005, o brigadeiro Edilberto Sirotheau, à época chefe da Superintendência de Segurança Aeroportuária, apresentou uma carta de demissão denunciando a obsessão do governo em realizar apenas as obras que proporcionavam visibilidade ao governo, em detrimento a investimentos em segurança de vôo. Os projetos que atendiam às necessidades operacionais foram deixados de lado.

Vellozo Lucas lembrou que a engenharia fisiológica montada na Infraero foi fundamental para o caos administrativo na emopresa. ´Em um ambiente propício, atos de corrupção local e sistêmica podem ser facilmente encontrados. O projeto de poder arquitetado pelo Partido dos Trabalhadores é um excelente exemplo de que, onde a falta de organização impera, os corruptos se multiplicam´, afirmou.

CORRUPÇÃO

O deputado Otavio Leite (RJ) também condenou o loteamento na empresa. ´Por sua importância estratégica, a estatal deve ser essencialmente administrada por pessoas que tenham domínio técnico do setor e não por conveniência política´, destacou.

Já para o deputado Renato Amary (SP), o Planalto deveria se preocupar em destinar recursos para melhorar a qualidade do trabalho realizado pelos controladores de vôo. ´No entanto, a gestão petista continua concentrando esforços para comprar novos apoios e cumprir os compromissos assumidos com os partidos que fizeram parte da campanha presidencial em 2006. Certamente uma configuração baseada apenas em critérios políticos´, concluiu.