Seu browser não suporta JavaScript!

11/04/2012 | Portal do PSDB na Câmara

Tucanos propõem ações a CBF para que Copa 2014 gere legado ao Brasil

Por Djan Moreno

Deputados do PSDB aproveitaram a presença do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, na Câmara para sugerir ações que possam gerar um legado ao país com a Copa de 2014. Marin participou de audiência pública na Comissão de Turismo e Desporto nesta quarta-feira (11). O diretor-executivo de Operações do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo, Ricardo Trade, e o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero também participaram do encontro.

O deputado Otavio Leite (RJ) sugeriu que a CBF exerça um papel de liderança para fazer com que os clubes quitem suas dívidas. O problema, segundo ele, não é de competência da confederação, mas ela pode orientar algum tipo de ação.

“Houve uma tentativa há pouco tempo com a Time Mania que não funcionou. É preciso agora repensar o futebol brasileiro, a sua governança. Os clubes precisam ter administrações abertas com participação direta na escolha de seus presidentes e um tratamento na execução orçamentária completamente público. É preciso implantar uma nova discussão sobre o destino dos times no país”, comentou.

O tucano demonstrou preocupação com o andamento das obras de infraestrutura para o mundial, sobretudo dos aeroportos. Segundo ele, em alguns casos há uma lentidão crônica, como no terminal Tom Jobim, no Rio de Janeiro.

O deputado Walter Feldman (SP) propôs à CBF que estimule a FIFA a apoiar ações sociais no Brasil ligadas à prática de esportes. A Federação Internacional de Futebol aplica parte de seus recursos em atividades desse tipo nos países que sediam os campeonatos mundiais. Segundo Feldman, o governo chinês utilizou a Copa de 2010 para levar às escolas uma hora de esporte por dia.

“É muito difícil fazer legado, pois na maior parte das vezes ele [é apenas físico, como estádios e aeroportos. Mas há algo maior que precisa ser falado que é o cultural, o educacional e o legado esportivo. É preciso pensar nisso, em como deixar esse legado”. O deputado destacou o trabalho que tem sido feito pelo governo tucano em São Paulo em parceria com a TV Cultura para colocar o debate sobre a Copa em todas as escolas paulistas “Os estudantes vão produzir materiais sobre isso e isso vai mexer com o intelecto educação brasileira. Isso é um legado extraordinário porque mexe com a vida de um povo, que a partir daí passa a ser muito diferente”, destacou.