Seu browser não suporta JavaScript!

04/09/2003 | Jornal O Globo

Vereadores acompanham Garotinho

Sete se filiam ao PMDB e o prefeito Cesar Maia perde força na Câmara

As mudanças partidárias provocadas pela ida do grupo político do secretário de Segurança, Anthony Garotinho, do PSB para o PMDB chegaram à Câmara de Vereadores. Hoje, sete vereadores se filiam ao partido, que passa a ter 12 cadeiras no legislativo municipal. O PFL do prefeito Cesar Maia encolheu: tinha 14 vagas e perdeu dois integrantes, Jorge Pereira e Sebastião Ferraz, que estão entre os que migraram para o PMDB, juntamente com Paulo Mello, Argemiro Pimentel, Rodrigo Bethlem, Chico Aguiar e Verônica Costa.

O líder do governo, Alexandre Cerrutti (PFL), disse ontem que recebeu com naturalidade o troca-troca. Ele acredita que o quadro ainda pode mudar até o início de outubro, prazo final para as filiações antes das eleições de 2004:

— O quadro político ainda pode mudar. O ex-líder do PMDB (Romualdo Boaventura), por exemplo, há alguns dias deixou o partido para se filiar ao PFL — disse Cerrutti.

Nas contas de Rodrigo Bethlem, o troca-troca levará a um equilíbrio de forças no Legislativo. Pela primeira vez, segundo o vereador, oposição e situação passam a ter o mesmo número de votos: 21. Nas contas estão colegas de partidos como PCdoB, PSB e PT

— O prefeito tinha maioria para votar o que queria. Atuava como um rolo compressor, que finalmente deixa de existir — disse Rodrigo Bethlem.

Cesar volta e discute aliança com o PSDB para 2004

As filiações coincidem com a volta hoje ao Rio do prefeito Cesar Maia, que deve se encontrar ainda esta semana com o ex-governador Marcello Alencar para discutir uma aliança para 2004. Os tucanos ainda não decidiram se fecham com o PFL, como defende o secretário municipal de Saúde, Ronaldo Cézar Coelho, ou lançam candidato próprio.

O PSDB tem quatro pré-candidatos: o ex-senador Artur da Távola, a deputada federal Denise Frossard e os deputados estaduais Luiz Paulo Corrêa da Rocha e Otavio Leite. Se o PSDB aderir ao governo, poderá indicar o secretário de Desenvolvimento Social.