Seu browser não suporta JavaScript!

19/02/2013 | Jornal O Globo on line

Yoani Sánchez muda programação e visitará Congresso na quarta-feira

Por Isabel Braga

BRASÍLIA - A blogueira cubana dissidente Yoani Sánchez aceitou o convite do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) e deve chegar a Brasília nesta quarta-feira para participar de evento em uma das comissões do Congresso onde será exibido o filme “Conexão Cuba Honduras”, do cineasta Dado Galvão. Depois da exibição, a blogueira irá falar e responder a perguntas, em uma palestra aberta ao público, de acordo com o deputado. Ela também deve se encontrar com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). A reunião será realizada às 12h.

- Estamos convidando uma personagem pública, que está em visita ao nosso país e sofreu uma violência. Cabe ao Congresso reparar essa violência que ela sofreu ao ser impedida de veicular o vídeo de um cineasta brasileiro, o Dado Galvão. O país deve essa reparação a ela - disse Otavio Leite.

Logo após o anúncio, a blogueira comemorou a viagem, em sua conta no Twitter.

“Recebi um convite para visitar amanhã a Câmara de Deputados do Brasil, por isso viajarei a Brasília”.

Na reunião de líderes, o DEM apresentou requerimento pedindo que se encaminhasse o pedido ao ministro da Justiça para garantir proteção policial à blogueira. Líderes de partidos de esquerda reagiram. Em seu blog Generación Y, Yoani disse que o grupo de extremistas que impediu a projeção era "algo mais que alguns poucos adeptos incondicionais do governo cubano".

- No Brasil, é legal ser vaiado e vaiar. Quem tem que pedir proteção policial é ela e ela mesma compreendeu a dinâmica das manifestações. Não podemos pegar essa assunto e esquecer outros que têm importância, como a votação dos royalties - disse o líder do PSB, Beto Albuquerque (RS).

A preocupação com a segurança da ativista fez com que o prefeito de Feira de Santana solicitasse que a Polícia Militar acompanhasse a dissidente: na coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, Yoani chegou com um grupamento especial da cidade, com ao menos 14 policiais militares.

Presidente do grupo parlamentar Brasil/Cuba, a senadora comunista Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) subiu na tribuna do Senado nesta terça-feira para apoiar os protestos da Juventude Socialista contra a blogueira cubana. Para Vanessa, é “absurda” e sem cabimento a tentativa da oposição de convocar ministros e representantes diplomáticos para explicar a possível participação de um servidor da Presidência da República na organização das manifestações.

Já o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) protocolou nesta segunda-feira convite ao ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e ao embaixador cubano no Brasil, Carlos Zamora Rodrigues, para prestarem depoimento no Senado sobre suposta presença de agentes cubanos no Brasil para acompanhar os passos da blogueira.

O senador Eduardo Suplicy, que estava ao lado de Yoani ontem na Bahia e também foi alvo dos protestos dos manifestantes, disse que eles adotam um procedimento equivocado e contrário ao propósito que defendem: o fim do bloqueio econômico praticado pelos Estados Unidos e seus aliados à Cuba. Ele disse que os manifestantes também o acusaram de ser "um traidor".

- Ingressei na política em 1980 porque acreditava e o programa do PT dizia com clareza que é possível ter socialismo com liberdade de manifestação e democracia. Que nós sejamos tolerantes e abertos ás críticas formuladas de maneira não ofensiva. Vamos descobrir a verdade ou simplesmente aceitar as acusações de que ela é financiada pela CIA? Quero mostrar à pessoas que se manifestaram ontem, de forma agressiva, que estão equivocadas e agindo contrariamente a seu próprio objetivo - disse Suplicy, acrescentando:

- O convite para Yoani vir ao Brasil, a viagem dela, é resultado de uma nova lei cubana e um sinal importante dado por Cuba, na linha do que o presidente (dos Estados Unidos, Barack) Obama vem defendendo para acabar com o bloqueio. Essas pessoas manifestando, de maneira ofensiva a ela, porque querem o fim do bloqueio, não se aperceberam que a vinda dela é um sinal positivo de que Cuba se permite maior liberdade.

Para o senador, os comentários feitos por Yoani em seu blog não são ofensivos, mas expressam a opinião sobre ineficiências que ocorrem em saúde e outras áreas e podem ser uma ajuda ao governo cubano. Suplicy lembrou que a própria presidente Dilma Rousseff já declarou que prefere o barulho intenso da liberdade de imprensa do que o silêncio da ditadura e Rosa de Luxemburgo disse que liberdade de expressão só para os que são a favor do governo, não é liberdade.