Seu browser não suporta JavaScript!

20/02/2013 | Jornal O Globo on line

Yoani Sánchez participa de reunião no Congresso brasileiro

Por Jaílton de Carvalho e Cristiane Jungblut

BRASÍLIA - Depois de enfrentar protestos em Salvador, a blogueira cubana Yoani Sánchez foi recebida no início desta tarde de quarta-feira no Congresso brasileiro, numa sessão de desagravo. Ao chegar a Brasília, a blogueira disse que a viagem ao Brasil era tudo que esperava “multiplicado por dez”.

Houve muito tumulto na chegada de Yoani ao Congresso. A entrada do prédio ficou tomada de parlamentares e curiosos. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ministro Dias Toffoli, do STF, passaram quase desapercebidos. Já o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), deixou a Casa minutos antes da chegada da blogueira, alegando que iria gravar um vídeo para seu partido. Por isso, quem presidia a sessão na sua chegada era o deputado Simão Sessin (PP-RJ).

A blogueira foi recebida por parlamentares da oposição, como os líderes do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), e do PSDB, Carlos Sampaio (SP). Yoani seguiu para o Plenário, com uma legião de parlamentares, curiosos e fotógrafos no seu encalço. A entrada da cubana no Plenário gerou mais confusão, porque estava ocorrendo uma sessão extraordinária para votar a MP 582. Os parlamentares reclamaram que a sessão foi mantida, e ela teve que ir para uma comissão temática da Casa.

O líder do PSOL, Ivan Valente (SP), reclamou que, com a manutenção da sessão, a visita não seria transmitida pelo canal principal da TV Câmara. Depois de muitas reclamações de deputados foi autorizada a TV Câmara a transmitir a palestra da blogueira cubana. A informação foi confirmada pelo presidente da sessão, deputado Simão Sessim. A TV Câmara passava a sessão extraordinária e uma legenda avisava que a transmissão seria só pelo site. Procurada, a Câmara informou que transmitiria pela TV após o fim da sessão.

Mais cedo, Ronaldo Caiado criticara a convocação de uma sessão extraordinária na Câmara para as 11h, o que impediria a cobertura da visita da dissidente cubana pela TV Câmara. Para ele, a convocação de última hora era uma manobra para impedir a transmissão do documentário Conexão Cuba-Honduras, às 12h.

- Fomos surpreendidos com a convocação de sessão extraordinária para às 11h. A sessão de ontem foi encerrada pelo deputado Simão Sessim, que convocou uma outra para hoje às 14h. Para termos essa sessão às 11h, todos os deputados deveriam ter sido informados via telefone ou telegrama - protestou o líder do DEM.

Sem protestos na chegada

Yoani viajou nesta manhã da Bahia para Brasília para participar de uma reunião no plenário da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, onde serão exibidos trechos dos documentário “Conexão Cuba Honduras”, do cineasta Dado Galvão. A blogueira chegou por volta das 11h no aeroporto. Desta vez, não houve protestos, ao contrário do que aconteceu nos aeroportos de Recife e Salvador.

Indagada se estava satisfeita com a viagem ao Brasil, ela disse que mesmo com manifestações de ontem estava feliz.

- Era tudo que eu esperava multiplicado por dez – disse Yoani Sánchez.

Na Câmara, ela foi recebida por um grupo de parlamentares da oposição. Antes da reunião na CCJ deverá ter um rápido encontro com o presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Depois da exibição do filme, a blogueira irá falar e responder a perguntas, em uma palestra aberta ao público.

O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), que fez o convite para a blogueira visitar o Congresso brasileiro, disse que é importante que Yoani fale sobre sua atividade.

- É preciso conhecer um pouco mais sobre a repressão ao pensamento em Cuba. Cuba está naquele estágio prédemocratização, onde a primeira bandeira é assegurada a liberdade de opinião e de votos – disse o deputado.

Segundo ele, as passagens de Yoani e de outros três acompanhantes foram pagas pela Câmara dos Deputados. Quatro seguranças da Câmara acompanham o translado da blogueira até o Congresso.

Legenda da foto: Yoani é recebida pelo deputado Otavio Leite (PSDB/RJ) em sua chegada a Brasília para visita à Câmara dos Deputados onde debaterá liberdade de expressão.

Foto: André Coelho/ O Globo